RSS

LEVANTA, VEM PARA O MEIO E ESTENDE A TUA MÃO

 

UMA PLATEIA DE OBSERVADORES DE CULTO

Em um outro sábado, Jesus foi em um culto. Entrou na sinagoga e começou a ensinar. No meio do povo, estavam os escribas e fariseus. Aqueles homens estavam ali, como espectadores de culto, ou seja, estavam assistindo a àquela reunião para ver se Jesus faria alguma cura naquele dia, para o criticar. Eram como torcedores vendo um jogo de futebol pela torcida e esperando o momento certo para xingar a mãe do juiz.
Jesus, o Verbo Vivo, já havia se declarado Senhor do Sábado. Ora, o mundo foi criado pela palavra, pelo verbo. E Jesus é o verbo! E pela palavra, pelo verbo, pela ação do verbo, Deus fez o mundo. O verbo era Deus, estava com Deus e andava com Deus. No sétimo dia da criação, Jesus, Verbo Vivo, palavra que produz vida, descansou da obra de sua criação.
Mas os doutos judeus não reconheciam Jesus como o Messias e guardavam o sábado. Por isso, ficavam matutando uma maneira de acabar com aquele sujeito feio de Nazaré, que cumpria os ensinamentos da Torá, mas ao mesmo tempo, fazia com que alguns deles não tivessem sentido:

– Esse homem é um perigo no nosso meio! Ele faz o povo ficar sem controle. No sábado realiza umas magias que cura os doentes, prega uma tal de circuncisão do coração e se diz Filho de Deus! Vê se pode! Não pode! Essa multidão fica agitada e acaba com a nossa liturgia. Entram aqui dentro sem reverência, quando não ficam pelas ruas louvando a Deus, dizendo que estão cheios do Espírito Santo, num “reteté” misterioso, falando umas línguas esquisitas…. Até os mais colunáveis, como Zaqueu, coletor de imposto, subir em árvore para vê-lo passar; Jairo, grande na sinagoga, mandou empregado chamá-lo para dar um jeito na doença da filha. Não podemos deixar que ele continue fazendo isso! É um pecador, um fanfarrão blasfemador!
Jesus, porém, conhecia os seus pensamentos.

NO MEIO DOS ESPECTADORES, UM EXPECTADOR
Neste mesmo sábado, um homem resolveu ir ao culto. Ele tinha um problema sério e não podia estar ali. Sua mão direita estava ressequida ou mirrada. Em outras palavras, ela foi acometido por lepra. Segundo estudiosos da Torá, o médico da época era o sacerdote. Esse homem, sem nome, sem genealogia, apresentou-se ao sacerdote. Após o diagnóstico, foi decretado que ele não poderia mais conviver com os irmãos, amigos e vizinhos. Mas esse sujeito era um cara de fé, nutria expectativas, desejo de ficar curado, de levar uma vida normal. Provavelmente, fez um voto a Deus e a lepra não evoliu; contudo, a doença ficou na mão e não passou do pulso.
Para o judeu, sábado é um dia de buscar a Deus. E por conta dessa busca, cria-se uma grande expectativa sobre o domingo, primeiro da semana, pois os milagres poderiam mudar o ciclo da semana que se inicia. E esse sujeito resolve ir ao culto, mesmo correndo o risco de ser condenado a morte por apedrejamento, pois queria adorar a Deus, queria entrar na presença do Altíssimo e tinha expectativas sobre o que poderia acontecer depois. Ele não podia apresentar a mão em adoração, pois todos veriam o seu problema. A parte doente, fica escondida. Se fosse hoje, diria que ele meteu-a no bolso do paletó ou da calça. Ficou em um cantinho para não chamar a atenção, não precisar cumprimentar ninguém.

LEVANTA, VEM PARA O MEIO E ESTENDE A MÃO

Jesus viu a adoração sincera daquele homem e sua confiança de que poderia ser curado. E como estava ministrando, sabia que sua palavra estava produzindo esperança naquele coração. Fez um convite ao homem que tinha expectativa, ou melhor, que nutria uma esperança baseada em supostos direitos, probabilidades ou promessas. Convidou-o para que se levantasse e fosse para o meio, à frente de todos. E ele foi.
Jesus, sábio como só ele é, disse ainda aos fariseus e escribas:
– Então, o que vocês acham? A lei permite, no sábado, fazer o bem? Ou não permite? Em um sábado, podemos salvar uma vida? Ou devemos deixá-la morrer?

Sem respostas verbais, Jesus olha para todos, mas como muito carinho para o homem que está no meio e pede que ele estenda a sua mão. Acredito que eles devem ter sorrido um para o outro. Sem, receios, sem medo o sujeito estende a mão, que aparece restaurada, curada, reconstruída. E o sorriso deve ter se transformado em alegria, em abraço, em pulo, em exaltação ao dono daquela palavra viva.
O convite de Jesus hoje é esse: levanta e vem para o meio, para o centro da minha vontade, para que eu torne públicos os milagres pelos quais você tem clamado em secreto. Para que eu restaure e cure a parte da tua vida que está doente, a parte que você tem vergonha de mostrar, por medo de ser criticado, apedrejado, ameaçado. Então, querido leitor, atenda ao chamado de Jesus hoje! Não fique pesando o tamanho do teu pecado ou que talvez você não seja digno. Que vida de crente não é para você, porque é! Deus te conhece muito antes da sua mãe engravidar. Ele sabe o teu nome e quer produzir mudança na tua história.
Inicie esse novo ciclo com Jesus. Ele pagou tua dívida com preço de sangue na cruz do calvário! Por suas chagas fomos curados. Se hoje, você ouvir esse convite, levante-se, venha para o meio e estenda a tua mão.
 

Fonte: Lucas 6:1-11

 

 
2 Comentários

Publicado por em 17/03/2011 em Religião e Fé

 

Quando fazemos algo para chamar a atenção dos outros, corremos o risco de …

>

Os filisteus se reuniram para lutar contra os israelitas. Eles tinham trinta mil carros de guerra, seis mil cavaleiros e tantos soldados quantos os grãos de areia da praia do mar. Foram até Micmás, a leste da cidade de Bete-Avém, e acamparam ali. Os israelitas perceberam que estavam sem saída e numa situação muito difícil. Alguns se esconderam em cavernas e em buracos, e outros, entre rochas, em covas e em poços. Outros ainda atravessaram o rio Jordão e foram para as terras de Gade e de Gileade. Saul havia ficado em Gilgal, e o povo dali estava apavorado. Seguindo as instruções de Samuel, Saul esperou sete dias, mas Samuel não foi até lá. E o povo começou a abandonar Saul e sair dali. Então Saul lhes disse: — Tragam os animais para o sacrifício que é completamente queimado e para as ofertas de paz. Ele ofereceu o sacrifício, e, quando estava terminando, Samuel chegou. Saul foi ao encontro dele, para o cumprimentar, mas Samuel disse: — O que foi que você fez? Saul respondeu: — Eu percebi que o povo estava me abandonando e indo embora. Você também não veio como havia prometido, e os filisteus já estavam reunidos em Micmás. Aí eu pensei: “Os filisteus vão descer a Gilgal para me atacar, e eu ainda não tentei conseguir a ajuda de Deus, o SENHOR.” Então achei que tinha de oferecer o sacrifício. — O que você fez foi uma loucura! — respondeu Samuel. — Você não obedeceu à ordem do SENHOR, nosso Deus. Se tivesse obedecido, ele teria deixado que você e os seus descendentes governassem o povo de Israel para sempre. Mas agora você não continuará a governar. Você desobedeceu ao SENHOR, e por isso ele vai encontrar um homem do tipo que ele quer e o fará chefe deste povo.(1SAMUEL 13.1-14)
Obedecer é melhor do que sacrificar… (Continua)
 

EU, O CARNAVAL E O SAMBA

Desde pequena, meu pai me incentivava a gostar de samba e carnaval. Lembro-me dele feliz vendo os meus pezinhos na cadência do samba: pra frente e pra trás, pra frente pra trás, pra frente e pra trás, quebra de ladinho e de repente, um pulinho para dar um charme ao requebrado. Os ombros e os braços acompanhavam o movimento e muitas vezes, punha-me a girar com uma vassoura na cintura como se fosse uma porta-bandeira.

Aos 4 anos, sofri um acidente que mudou tudo. Atravessei a Av. Cônego de Vasconcelos, em Bangu, com tudo. Um ônibus vinha na minha direção. Minha irmã, de quem eu tinha mordido a mão antes de sair correndo pelo meio da rua, lembra-se de tudo. Segundo ela, o impacto da batida foi tão grande, que voei para o outro lado da rua. Minha cabeça não abriu mas surgiu um “galão” na hora. Ainda tenho uma leve cicatriz entre o nariz e boca. Quebrei o fêmur esquerdo.

Não gosto de falar desse período do hospital porque foi um tormento.  Depois, veio o processo de recuperação: rápido e sem sequelas, graças a Deus. Tem gente que acha que eu não bato bem da cabeça, rs…  Mas acho que isso não tem a ver com o acidente. A pancada deve ter colocado alguns pinos no lugar. Tempos depois, meu pai visitou uma cidade do interior de Minas e acabamos nos mudando para lá.  Ele já estava aposentado e não queria correr o risco de me ver parando ônibus novamente.  Foi bom. Cresci sabendo o que era galinha, pato, ganso, vaca, cavalo, rio, cachoeira, bicho de pé, carrapicho, jabuticaba no pé, fogão a lenha, lama etc.  O carnaval era um pouco diferente.  Assistíamos aos desfiles pela TV e acompanhávamos a apuração fazendo nossas tabelinhas e gritando a cada “nota 10” recebida pela escola do coração.  Meu pai explicava cada quesito e a história do carnaval carioca. Ele morreu quando eu tinha a idade de 10 anos. Estava doente. Fumava muito. Antes de morrer, abandonou o espiritismo. Minha mãe tinha começado a frequentar uma igreja batista. Ele odiava. Mas esse ódio durou pouco tempo. Meu pai entregou sua vida à Jesus um pouco antes de morrer, após ser internado em coma. Até aí, isso não tinha muito sentido para mim.

Quando me converti ao evangelho de Jesus Cristo tinha quase 14 anos. E o Carnaval era um dos momentos mais difíceis do ano. De um lado toda a beleza da festa: o enredo, a comissão de frente, o abre-alas, as alegorias, a evolução das baianas, a velha guarda, os cortejos entre mestre-sala e  porta-bandeira, enfim… a história a ser contada no desfile. Some-se a tudo o apito dos mestres de bateria e a marcação dos repiques, tan-tans, tamborins, agogôs aguardando um choro de cavaquinhos e cuícas. E pode parecer loucura, mas o sangue esquenta e parece que o corpo quer ir junto.  Os pés começam a bater sem sentir.

De outro lado, tinham os meus conflitos espirituais e a ausência do papai. Espiritualmente, os católicos lidam bem com isso. Brincam os 4 dias, recebem as cinzas na quarta, guardam (alguns) a quaresma e extravazam no sábado de aleluia. Mas eu tinha deixado o catolicismo para trás porque ele não me preenchia. De outro, faltava alguém explicando os detalhes de cada escola. Mas o ritmo do samba continuava ali, implicando com o meu corpo.

Hoje, minha percepção sobre o que o meu pai dizia não mudou. O que mudou foi minha fé. Ele era claro em apontar a representação de cada orixá nos desfiles, do culto à vaidade, a explicação do enredo. Também me dizia porque os terreiros de macumba fecham durante o carnaval e porque seus seguidores precisam oferecer sacrifícios e pedir “licença” para “brincar” o carnaval.

Tenho 34 anos e nada contra o samba. É um dos ritmos mais bonitos  e irreverentes do nosso país. E por meio dele, também é possível adorar a Deus. Prova disso foi o Bezerra da Silva! Quem não se lembra desse grande malandro? Antes de morrer, o malandro virou servo do Deus vivo e o adorou com o samba!


Não vou negar que um desfile de escola de samba é bonito. A cada ano os profissionais do carnaval ficam mais competentes.  Mas, com o tempo, convertido aprende a ser crente. E crente aprende coisas sobre o mundo espiritual e sobre Deus que superam em muito, a fugaz alegria do carnaval. Nenhuma folia, seja no Rio, Minas, Bahia ou Recife se compara, nem de longe, ao batismo com o Espírito Santo. Pergunte a quem já esteve  nos dois lados.  Se o cidadão viveu essa experiência, mas se afastou do evangelho e ainda tem temor, tenho certeza de que, mesmo sem forças, ele gostaria de ser renovado na fé e voltar ao primeiro amor.  Se o sujeito estiver firme na palavra, você já vai saber qual é a resposta. Bezerra, o grande malandro carioca, experimentou. E não largou mais.

 
Deixe um comentário

Publicado por em 08/03/2011 em Religião e Fé

 

Obrigado, SENHOR

>



Então Ana orou assim: O SENHOR Deus encheu o meu coração de alegria; por causa do que ele fez, eu ando de cabeça erguida. Estou rindo dos meus inimigos e me sinto feliz, pois Deus me ajudou. Ninguém é santo como o SENHOR; não existe outro deus além dele, e não há nenhum protetor como o nosso Deus. Não fiquem contando vantagens e não digam mais palavras orgulhosas. Pois o SENHOR é Deus que conhece e julga tudo o que as pessoas fazem. Os arcos dos soldados fortes estão quebrados, mas os soldados fracos se tornam fortes. Os que antes estavam fartos agora se empregam para ganhar comida, mas os que tinham fome agora estão satisfeitos. A mulher que não podia ter filhos deu à luz sete filhos, mas a que possuía muitos filhos ficou sem nenhum. O SENHOR Deus é quem tira a vida e quem a dá. É ele quem manda a pessoa para o mundo dos mortos e a faz voltar de lá. Ele faz com que alguns fiquem pobres e outros, ricos; rebaixa uns e eleva outros. Deus levanta os pobres do pó e tira da miséria os necessitados. Ele faz com que os pobres sejam companheiros dos príncipes e os põe em lugares de honra. Os alicerces da terra são de Deus, o SENHOR; ele construiu o mundo sobre eles. 1SAMUEL 2.1-8

 

CHAMADO, SISTEMA E TEMPO

Lucas 1, do verso 5 ao 7 inicia a história de um casal: Zacarias e Isabel, pais de João Batista. Esse texto me incomoda muito. Fico pensando como alguém podia exercer seus trabalho e seu ofício com tanto zelo, numa época de tanta perseguição política, econômica e social. Acima de tudo, perseguição moral.

Vamos ao texto:
Nos dias de Herodes, rei da Judéia, houve um sacerdote chamado Zacarias, do turno de Abias. Sua mulher era das filhas de Arão e se chamava Isabel. Ambos eram justos diante de Deus, vivendo irrepreensivelmente em todos os preceitos e mandamentos do Senhor. E não tinha filhos, porque Isabel era estéril, sendo eles avançados em dias.


SOBRE O CHAMADO AO SACERDÓCIO:

Antes de Moisés, os patriarcas das famílias hebreias ofereciam sacrifícios de animais a Deus como oferta pelos seus pecados. Durante o exôdo, o serviço sacerdotal foi oficializado (Ex.: 28:1-2) e a tribo de Levi foi escolhida para essa atividade. Exercer o sacerdócio era uma questão de família. Quem não era descendente, não podia exercê-lo.

  • Mais tarde, quando Davi ordena a Salomão, seu filho, que construa um templo de adoração a Deus e que siga as diretrizes deixadas por Moisés.  Na área sacerdotal, os representantes da tribo de Levi foram divididos em 24 turnos para prestar serviço ao longo do ano. Durante 15 dias, trabalhavam direto no templo. Além disso, também trabalhavam nas festas anuais: primícias, páscoa e pentecostes. Um desses sacerdotes foi Abias, ascendente de Zacarias (II Cron. 22).
  • Zacarias manteve a tradição familiar e atendeu ao chamado de Deus para a sua vida. Era sacerdote durante o reinado de Herodes e fazia isso de maneira exemplar. Sim. Houveram muitos sacerdotes que pagaram com a própria vida por não valorizarem o privilégio da profissão. No novo testamento, muitos se venderam e arquitetavam planos para tirar a vida de Jesus.
  • Hebreus  5: 1 diz que o sacerdote era constituído nas coisas concernentes a Deus em favor dos homens.  O seu trabalho era o oposto do profeta, que devia revelar Deus ao homem. Zacarias tinha a responsabilidade de se purificar para entrar em áreas restritas do templo e ali interceder pela vida do povo.
  • SOBRE O SISTEMA:

    O texto é claro. O judeus estavam debaixo do jugo romano. Antes de Herodes, os judeus choraram a morte de Salomão e vivenciaram a divisão do reino de Israel (Sul/Norte). Amargaram tristezas por conta dos seus próprios pecados e também pelo despreparo de reis que perderam a fé e o controle político de suas terras a a ponto de serem escravizados novamente. Só na Babilônia, passaram 70 anos. Após o reinado de Nabucodonozor, da Babilônia, vieram os persas com Ciro; Alexandre Magno e por fim, os romanos.

    Herodes é a representação clássica de um sistema político, e econômico opressor. Estrategista, ele mandou reconstruir ruas e embelezar Jerusalém. Não porque fosse bonzinho. Por pura vaidade, para que outros dissessem que foi o imperador quem havia mandado. E também para lucrar com a coleta de impostos durante as festas judaicas e atraíam judeus espalhados pelos diversos cantos da Judéia.

    Herodes é como um nó de marinheiro na vida dos judeus, que estavam sem profeta por 400 anos e tentavam nutrir uma esperança de reunificação política.  A desilusão nacional levantava inúmeras questões a respeito dos ensinamentos de Moisés, do desocupado trono de David e dos pecados da nação.  Os judeus acreditavam na previsão de Daniel a respeito do Messias, e consideravam que a chegada desse prometido iniciaria uma nova época.

    O sistema trazia benefícios para quem queria tirar proveito religioso, mas Zacarias não estava preocupado com isso.  Zacarias estava no sistema, mas não era dominado por ele!

    Sistema hoje:  religião, política e economia são ferramentas terríveis que muitos usam para sustentar suas ilusões de segurança e controle.  As pessoas têm medo da incerteza, do futuro.  Essas instituições, estruturas e ideologias são um esforço inútil de criar um sentimento de certeza e segurança onde nada disso existe.  É tudo falso! Os sistemas não podem oferecer segurança, mas Jesus pode!  Não deixe que o sistema te impeça de cumprir o teu chamado.  Com Jesus, eu e você podemos estar dentro do sistema e não fazer parte dele!

    Com Zacarias e Isabel era assim! O sistema trazia benefícios para quem queria tirar proveito religioso, mas Zacarias não estava preocupado com isso.  Zacarias estava no sistema, mas não era dominado por ele!

    SOBRE O TEMPO:
    Talvez, o tempo fosse um grande “nó” na vida desse casal. Como judeus, esperavam que pudessem ter filhos, mas Isabel era estéril. Ser mulher de sacerdote e ser estéril não era um nó fácil para Isabel desatar. Ela já tinha entrado na menopausa e possivelmente tinha muitas inseguranças: seu marido podia deixá-la legalmente, era discriminada por outras mulheres, não participava das reuniões de mães da sinagoga e nem podia aconselhar as jovens mães.

    Por outro lado, o ” nó” da esterilidade de Isabel, não deu um “nó” no amor de Zacarias. Ele amava Isabel. Não a abandonou. Deve ter orado muito por sua esposa. Podia abandoná-la e casar-se com outra judia novinha, com tudo em cima, mas ele optou por orar até Deus responder. E Deus respondeu!

    QUANDO O MILAGRE CHEGA É MAIS DO QUE PEDIMOS OU PENSAMOS:
    Segundo o texto de Lucas 1, verso 8,  Zacarias estava  queimando incenso no santuário quando o anjo Gabriel o visita e diz que ele vai ter um filho.

    Ele fica tão surpreso com a notícia, que pergunta como isso iria acontecer, já que eles estavam velhos. Estrategicamente, ele fica mudo! Zacarias não ficou mudo só por incredualidade. Acredito que a ficha dele caiu logo. Ele também orava pela redenção de Israel e tinha discernimento das questões espirituais que esse nascimento de seus filho trariam. Mas se ele abrisse a boca e contasse para todo mundo que o filho que ele teria na velhice seria o profeta que antecederia o ministério de Jesus, o rei do judeus, o fim seria trágico. A notícia cairia no ouvido de Herodes que, ciumento e possesso pelo poder, mandaria matar a família de Zacarias assim como fez com os meninos na época do nascimento de Cristo.

    Nem sempre, os “nós” que Deus desata na nossa vida são para conhecimento público. Isabel entendeu isso muito claramente, tanto que ela se ocultou por 5 meses após engravidar. Pela idade, ela sabia que tinha que ter cuidados com aquela criança e sabia que, se o marido estava mudo e ela grávida, só podia ser Deus no negócio.  Ela precisava se cuidar, cuidar da criança e cuidar do marido.

    Muitas das vezes, quando Deus nos dá uma bênção em segredo, ele quer que a gente cuide, que a gente zele pelo que ele nos confiou. Apenas Maria aparece para cuidar de Isabel. Dependendo do tipo de “nó” que Deus queira soltar, Ele seleciona quem vai estar conosco.

    CONCLUSÕES:

    • Zacarias e Isabel entenderam que  tinham um chamado espiritual para cuidar do povo. Hoje, a responsabilidade de ser sacerdote é nossa também. Não há mais parede de separação, nem véu! Jesus acabou com tudo isso e nos fez sacerdócio real.

    • O milagre – João – não seria apenas para o casal, mas para toda a história do cristianismo.

    • Sempre haverá sistema: seja ele governamental, emocional ou espiritual. Mas, com Deus, podemos passar por ele, sem sermos dominados por ele.
    • Tempo é um problema para Deus. Para nós é tratamento de ansiedade.

     

     
    Deixe um comentário

    Publicado por em 23/02/2011 em Religião e Fé

     

    RECADO DO MEU AMIGO FERNANDO OCTÁVIO II

    Official seal of Teresópolis

    Image via Wikipedia

    VIA FACEBOOK

    Vou levar itens do Rio para Teresópolis nesse próximo fim de semana de caminhão. Quem puder colaborar entre em contato, estou com o apoio de uma escola de Jacarepaguá que está funcionando como posto de recolhimento.

    IMPORTANTE.: Nossas doações irão direto para regiões menos favorecidas da cidades, onde o apoio da prefeitura é escasso e a necessidade de ajuda é grande. No caso a zona rural da cidade.

    POSTO DE RECOLHIMENTO DE DOAÇÕES: Estrada do Rio Grande, 1.159 – Taquara – Rio de janeiro.
    Procurar Dona Maria do Carmo de segunda a sexta (exceto quinta), de 9 às 15h

    Precisamos de:
    • Roupas íntimas
    • Material de higiene pessoal
    • Material de Limpeza pesada
    • Toalhas / Roupa de Cama / Cobertores
    • Baldes / pás de pedreiro / Enchadas / Botas de borracha (gente, a alface que nós comemos vem desse lugar e os moradores de lá não tem mais ferramentas de trabalho)
    • Chinelos /Calçados
    • Galões de Água (fundamental o vasilhame)
    • Colchões
    • Vassouras / Panos de Chão
    • Material descartável, pois quase todos os pontos da cidades estão sem água

    Apesar das vidas perdidas, ainda podemos salvar a dignidade das pessoas.

    Enquanto aos  questões materiais, muita coisa se perdeu, mas podem ser recuperada, precisamos de apoio nisso. Graças a Deus todos são voluntárias, mas infelizmente falta equipamento.

    Centro de Vieira, destruído pelas chuvas e deslizamentos de terra.

    Obrigado pela ajuda, falo em meu nome, no nome de meus amigos e familiáres e tenho certeza que em nome de todos os Teresópolitanos.

     
    Deixe um comentário

    Publicado por em 18/01/2011 em Fé e Obras

     

    Mais compaixão e atitude!

    Romanos 12:15 nos alerta:  “Alegrai-vos com os que se alegram e chorai com os que choram”.

    A tragédia das chuvas no Estado do Rio de Janeiro trouxe um abismo de tristeza mas também uma multidão de voluntários.  Faça parte dessa rede!

    Interaja.
    Conscientize.
    Colabore.

    Vamos nos reunir pelo bem das vítimas do desastre na Região Serrana do Rio de Janeiro.

    VOCÊ PODE DOAR:
    água
    pó de café
    feijão
    enlatados
    leite em pó
    açúcar
    fraldas
    absorventes
    sabonetes
    fósforos
    velas
    isqueiros
    cobertores
    colchões
    roupas de cama, mesa e banho
    roupas de adultos e crianças, calçados

    INSTITUIÇÕES ENGAJADAS:

    Sesi/Senai:Junto com a Globo Rio, através da Rede de Solidariedade do Sesi/Senai-RJ, mobilizou unidades em todo o estado para receber doações, que podem ser entregues das 8h às 17h. Materiais de limpeza e de higiene pessoal, água potável e alimentos não-perecíveis são os principais. Veja a lista dos locais:

    • Sesi – Barra do Piraí – Avenida Mário Salgueiro 1.065, Bairro Belvedere
    • Senai – Barra do Piraí – Rua Alan Kardeck sem número, Muqueca
    • Sesi – Barra Mansa – Avenida Dário Aragão 2, Centro
    • Senai – Barra Mansa – Rua Senhor do Bonfim 130, Saudade
    • Sesi/Senai Benfica – Praça Natividade Saldanha 19, Benfica. Telefone.: (21) 2587-4800
    • Senai – Campos – Rua Bruno de Azevedo 37, Parque Tamandaré, Campos dos Goytacazes
    • Sesi – Campos – Avenida Deputado Bartolomeu Lysandro 862, Guarus
    • Sesi/Senai – Cinelândia – Rua Santa Luzia 685, 5º andar, Centro, Rio de Janeiro
    • Sesi – Duque de Caxias – Rua Artur Neiva 100, Bairro 25 de Agosto, Duque de Caxias
    • Senai – Duque de Caxias – Rua Arthur Goulart 124, Centro
    • Sesi – Honório Gurgel – Rua Loreto do Couto 673
    • Sesi – Itaperuna – Avenida Deputado José de Cerqueira Garcia 883, – Bairro Presidente Costa e Silva
    • Senai – Itaperuna – Avenida Zulamith Bittencourt 190, 1º e 2º andar, Cidade Nova
    • Sesi – Jacarepaguá – Avenida Geremário Dantas 342, Tanque, telefones: (21) 3382-9999/9950
    • Senai – Jacarepaguá – Avenida Geremário Dantas 940, Freguesia
    • Sesi/Senai – Laranjeiras – Rua Esteves Júnior 47, Laranjeiras e Rua Ipiranga 75
    • Sesi – Macaé – Alameda Etelvino Gomes 155, Riviera Fluminense
    • Senai – Macaé – Avenida Prefeito Aristeu Ferreira da Silva 70, Novo Cavaleiro
    • Senai – Maracanã – Rua São Francisco Xavier 417
    • Senai – Mendes – Rua Professor Paulo Sérgio Nader Pereira 250, Centro
    • Senai – Niterói – Rua General Castrioto 460, Barreto
    • Sesi/Senai – Nova Iguaçu – Rua Gerson Chernicharo sem número, Bairro da Luz
    • Sesi – Petrópolis – Avenida Barão do Rio Branco 2.564, Centro
    • Senai – Petrópolis – Rua Bingen 130, Bingen
    • Sesi – Resende – Rua Marcílio Dias 468, Jardim Jalisco
    • Senai – Resende – Rua Sarquis José Sarquis 156, Jardim Jalisco
    • Sesi/Senai – Santa Cruz – Rua Felipe Cardoso 713
    • Senai -Solda – Rua São Francisco Xavier 601, Maracanã, telefone: (21) 3978-8700
    • Sesi/Senai – Tijuca – Rua Morais e Silva 53
    • Sesi/Senai – Vicente de Carvalho – Avenida Pastor Martin Luther King Jr. (antiga Avenida Automóvel Clube), 6.475
    • Sesi/Senai – São Gonçalo – Rua Nilo Peçanha 134, Centro
    • Sesi – Três Rios – Avenida Tenente Enéas Torno sem número, Margem Esquerda, Centro
    • Senai – Três Rios – Rua Izaltino de Oliveira 90, Centro
    • Sesi/Senai – Santo Antônio de Pádua – Avenida João Jazbik sem número, Bairro 17
    • Senai – Valença – Rua Comendador Araújo Leite 320
    • Senai – Vassouras – Rua Nilo Peçanha 85
    • Sesi – Volta Redonda – Avenida Lucas Evangelista 595, Aterrado
    • Senai – Volta Redonda – Rua Nicanor Teixeira de Carvalho 1, Barreira Cravo

    Cruz Vermelha: Deixou o Departamento de socorros e Desastres em um plantão na sede, localizada na Praça Cruz Vermelha 10, no Centro, para receber água mineral, alimentos de pronto consumo (massas e sopas desidratadas, biscoitos, cereais), leite em pó, colchões, roupa de cama e de banho e cobertores. É possível fazer doações em vários estados. A entidade abriu uma conta para receber doações em dinheiro (Banco Real Ag. 0201 c/c 1793928-5). Mais informações nos telefones: 2507-3392 e 2507-3577.

    CNBB: A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) lançou a campanha “SOS SUDESTE” para ajudar às vítimas das chuvas. A entidade criou uma conta para que as doações sejam feitas na Caixa Econômica (conta 1490-8, agência 1041 ) e no Banco do Brasil ( conta 32.000-5 – agência 3475-4).

    Viva Rio: O Programa de Voluntariado do Viva Rio está arrecadando roupas e mantimentos. As doações podem ser feitas na Rua do Russel, 76, Glória ou através de depósito bancário na conta do Viva Rio, no Banco do Brasil, agência 1769-8, conta-corrente 411396-9 e CNPJ: 00343941/0001-28. Para mais informações o Viva Rio disponibiliza os telefones (21) 2555-3750 e (21) 2555-3785.

    Fecomércio: Os pontos de coleta ficam no Flamengo (Rua Marquês de Abrantes 99, Flamengo, das 9h às 18h, de segunda a sexta), nas unidades do Sesc (São Gonçalo, Niterói, Copacabana, Tijuca, Ramos, Madureira, São João de Meriti, Nova Iguaçu, Teresópolis e Quitandinha/Petrópolis) e do Senac Rio.

    ÓRGÃOS DO ESTADO:
    Hemorio: O órgão da Secretaria de Estado de Saúde e Defesa Civil fez um apelo para que a população doe sangue. O Hemorio fica na Rua Frei Caneca, nº 8, no Centro do Rio. Diariamente das 7h às 18h, inclusive em sábados, domingos e feriados. Para ser um candidato à doação, o voluntário deve ter entre 18 e 65 anos, pesar mais de 50 quilos, estar bem de saúde e levar um documento oficial de identidade com foto. Mais informações podem ser obtidas através do Disque-Sangue (0800-282 0708), que esclarece dúvidas e agenda o horário de doação no Hemorio com hora marcada.

    Polícia Militar: Todos os batalhões da PM do Rio também estão funcionando com centros de doações. O material arrecadado será encaminhado ao 12º BPM (Niterói), de onde será enviado para as áreas afetadas.

    Estádios: A Secretaria Estadual de Esporte e Lazer montou postos de recolhimento de material nos estádios do Maracanãzinho (das 8h às 20h, portão 12) e do Caio Martins (das 8h às 20h, pelo portão principal na Avenida Roberto Silveira, em Icaraí.

    Ministério Público: O MP estadual também está recebendo doações. Elas podem ser feitas na portaria do edifício-sede, na Avenida Marechal Câmara 370, Centro, das 10 às 17 horas, de segunda a sexta-feira.

    Secretaria de Assistência Social: Montou postos de arrecadação em várias instituições do estado, para arrecadar alimentos, água e roupas para 60 abrigos da Região Serrana. Ontem, o Comitê Olímpico Brasileiro (COB) fechou parceria com a pasta e recebe doações em sua sede (Avenida das Américas 899, Barra da Tijuca) e no Parque Aquático Maria Lenk, também na Barra. Outros pontos são a sede da Fundação da Infância e da Adolescência (Rua Voluntários da Pátria 120, Botafogo) e as filiais de Niterói (Rua General Castrioto 589, Barreto) e de Friburgo (Avenida Julius Antônio Thuller 480, Olaria). Também recebem donativos as unidades da Fundação Leão XIII em Petrópolis (Rua General Osório 12, 2º piso, Centro) e em Teresópolis (Rua Josafá Cupelo 390, Bairro de Fátima).

    Farmácia Popular: As Farmácias Populares estão recebendo doações, exceto as de Friburgo e Petrópolis.

    Bombeiros: Os 106 quartéis do Corpo de Bombeiros, em todo o estado, aceitam doações. No entanto, eles não recebem roupas e calçados.

    Alerj: A Assembleia Legislativa também está recebendo doações no Palácio Tiradentes, no Saguão Getúlio Vargas, diariamente, entre 10h e 17h.

    BANCOS:
    Caixa Econômica Federal: O banco abriu uma conta corrente para ajudar as vítimas das chuvas no estado do Rio de Janeiro. As doações aos moradores das regiões em estado de emergência podem ser feitas na conta da Defesa Civil do Rio de Janeiro, número 2011-0, agência 0199, operação 006.

    Banco do Brasil: O banco abriu uma conta corrente para ajudar as vítimas das chuvas no estado do Rio de Janeiro. Conta corrente, em nome da Prefeitura de Teresópolis, são: agência 0741-2, c/c 110000-9. Para ajudar às vítimas de Nova Friburgo os dados são: agência: 0335-2, c/c:120.000-3. Doações para as vítimas de Petrópolis (RJ): ag. 0080-9, c/c 76.000-5

    Bradesco: O banco abriu uma conta para receber doações para vítimas das enchentes na Região Serrana do Rio. O próprio Bradesco fará o primeiro depósito. O beneficiário da conta é o Fundo Estadual da Assistência Social, agência 6570-6, conta corrente 2011-7.

    Itaú Unibanco: Aceita doações em favor de Fundo Estadual de Assistência Social do Estado do Rio de Janeiro: Itaú (341), Agência 5673, Conta 00594-7, CNPJ: 02932524/0001-46. Podem ser feitas pela internet, rede de agências e nos caixas eletrônicos Itaú. As agências também estão funcionando como postos de coleta de roupas, cobertores, agasalhos, calçados, materiais de limpeza e higiene, água e alimentos não perecíveis.

    Santander: O banco divulga a conta SOS Teresópolis – Banco do Brasil (001)/ Agência 0741-2/ C/c 110000-9/ CNPJ: 29.138.369/0001-47

    RODOVIÁRIAS E TRANSPORTES:
    Novo Rio: Na Rodoviária Novo Rio, as doações para a Cruz Vermelha estão sendo recebidos no piso de embarque inferior, das 9h às 17h.

    Fetranspor: A Federação das Empresas de Transporte do Rio de Janeiro (Fetranspor) lançou a campanha Parada Solidária. Até 21 de janeiro serão montados postos de coletas de alimentos não perecíveis, água, colchonetes, produtos de limpeza e de higiene pessoal nas cidades do Rio, de Duque de Caxias, Magé, Niterói e Petrópolis. Ônibus estarão estacionados em terminais rodoviários, sedes de sindicatos e órgãos públicos fazendo o recolhimento dos donativos, que serão encaminhados para a Cruz Vermelha. A coleta funcionará de 8h às 20h, com dois turnos de atendentes.

    No Rio, os pontos serão no Largo da Carioca; Cinelândia (a partir de 2ª feira, dia 17, em frente à Câmara de Vereadores); Terminal Alvorada, a coleta não será feita em ônibus, mas na administração; Ilha do Governador – sede da Sub-Prefeitura em frente ao posto RioCard; Praça General Osório, Ipanema (a partir de sábado, dia 15. Em Caxias e Magé as doações podem ser feitas no Terminal Rodoviário Plínio Casado, em Duque de Caxias; no Terminal Rodoviário do Shopping Center, em Duque de Caxias; na Rodoviária de Piabetá, em Magé; e na Praça da Prefeitura de Magé. Em Niterói as doações estão sendo no Terminal João Goulart (em frente ao posto do Setrerj), e em Petrópolis na sede do Setranspetro – Rua do Imperador 100, Centro.

    Metrô: Também em parceria com o Viva Rio, o Metrô Rio está recolhendo doações para os desabrigados. A coleta será feita em 11 estações das linhas 1 e 2, Carioca, Central, Largo do Machado, Catete, Glória, Ipanema/General Osório, Pavuna, Saens Peña, Botafogo, Nova América/Del Castilho e Siqueira Campos. Poderão ser doados até o dia 11 de fevereiro água, alimentos não perecíveis e material de higiene pessoal.

    Barcas: Aceita doações de água potável, alimentos não perecíveis, produtos de limpeza, de higiene pessoal e colchonetes. As doações podem ser entregues até dia 31, nas estações Praça XV, Araribóia, Charitas, Cocotá e Paquetá, durante o horário de funcionamento. Todo o material arrecadado será distribuído pela Cruz Vermelha. Outras informações: http://www.barcas-sa.com.br.

    Trens: A SuperVia recebe doações no balcão de Informações da estação Central do Brasil, que funciona nos dias úteis, das 7h às 17h. O material arrecadado será entregue à ONG Viva Rio.

    SUPERMERCADOS E OUTRAS EMPRESAS:
    Pão de Açúcar: O grupo Pão de Açúcar montou postos de coleta em todas as 100 lojas das redes Pão de Açúcar, ABC CompreBem, Sendas, Extra Supermercado e Hipermercados e Assaí em todo o estado para que os clientes possam cooperar com doações de alimentos não perecíveis, roupas e cobertores. A ação acontece até o dia 26 de janeiro.

    Hortifruti: A rede tem postos em todas as lojas do Rio.

    Ampla: A empresa está recebendo doações em suas lojas em Niterói (Av. Ernani do Amaral Peixoto, nº 1, Centro) e em São Gonçalo (Rua Feliciano Sodré, nº 230, Centro).

    Drogarias Tamoio: A partir de segunda-feira, dia 17, as lojas da rede receberão donativos. Informações no site http://www.drogariastamoio.com.br ou pelo 0800-2864446.

    UNIVERSIDADES E INSTITUIÇÕES DE ENSINO:
    Unisuam: A Unisuam está arrecadando produtos de higiene pessoal (escova de dente, pasta de dente, toalha, sabonete, álcool em gel) e limpeza (detergente, desinfetante, esponja, pano de chão), além de fósforo e vela. Os postos funcionam das 8h às 21h, em Bonsucesso (Av. Paris, 72) e Campo Grande (Rua Campo Grande, 1.508); e das 15h às 21h, nas Unidades Bangu (Rua Fonseca, 240), Vila da Penha (Av. Braz de Pina, 1.744), e Jacarepaguá (Rua Apiacás, 320).

    Unigranrio: A Unigranrio montou postos de coleta em 12 unidades. Informações pelo 0800-2820007.

    Senac: As unidades do Senac no Rio também recebem doações. Eles ficam em Niterói, na Rua Almirante Teffé, 680, no Centro; Copacabana, na Rua Pompeu Loureiro, 45; Marapendi, na Avenida das Américas, 3959, na Barra da Tijuca; Faculdade Senac Rio, na Rua Santa Luzia, 735, no Centro e em Botafogo, na Rua Bambina, 107. A coleta é das 9h às 19h, de segunda a sexta. Aos sábados, das 9h às 12h.

    Mopi: O colégio Mopi montou postos de arrecadação para ajudar os desabrigados da enchente da Região serrana do Rio. As doações podem ser feitas de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, em duas unidades da escola. Estão arrecadando alimentos não perecíveis, roupas e artigos de higiene pessoal. Endereços: Rua Almirante Cóchrane 66 – Tijuca e Estrada da Barra da Tijuca 600 – Itanhangá.

    Escola Parque: A Escola Parque também está apoiando a campanha de doações para as vítimas. A instituição está arrecadando alimentos não perecíveis, mantas, toalhas, material de higiene e medicamentos para curativo. As contribuições poderão ser feitas entre os dias 17 de janeiro e 4 de fevereiro nas sedes da Barra e da Gávea. Endereços: Rua Pedra de Itaúna 111 – Barra e Rua Marquês de São Vicente 355 – Gávea.

    ESTRADAS:
    Ponte Rio-Niterói: O posto fica junto à praça de pedágio, do lado direito de quem chega a Niterói, onde a concessionária instalou um container especialmente para receber as contribuições. Outras informações: 2620-9333.

    BR-040: De acordo com a Concer, as praças de pedágio da BR-040 situadas em Duque de Caxias (km 104), Areal (km 45) e Simão Pereira (km 816), além da sede da empresa (km 110/JF, em Caxias) funcionarão como postos de arrecadação. Nas praças de pedágio, as doações podem ser entregues nos postos do Serviço de Informação ao Usuário da rodovia, que funcionam de segunda a segunda, 24 horas por dia.

    BR-101: Há 14 postos de coleta ao longo dos 320 quilômetros. As doações podem ser feitas nas sete Bases Operacionais (BSOs) da concessionária, na sede da Latina Manutenção, em Casimiro de Abreu, na sede Administrativa da Autopista Fluminense, no São Gonçalo Shopping, e nas cabines de arrecadação das cinco praças de pedágio em todo o trecho administrado. Informações: 0800-2820101.

    Polícia Rodoviária Federal: A PRF montou quatro postos de arrecadação de alimentos e produtos de higiene pessoal. Dois pontos vão funcionar 24 horas e um deles, está instalado na BR-116, na altura do pedágio da Rio-Magé, e o outro na BR-101, no trecho de Casimiro de Abreu. Outros dois postos, na Rio-Petrópolis e na Rodovia Presidente Dutra, vão funcionar das 8h às 17 horas. A PRF informou que os alimentos arrecadados serão entregues para a Cruz Vermelha, que ficará encarregada de fazer a distribuição às vítimas.

    PREFEITURA DO RIO:
    Seop: A Secretaria Especial da Ordem Pública, através da Guarda Municipal, está recebendo donativos para as vítimas das chuvas na Região Serrana. As doações devem ser entregues até o fim da tarde de quarta-feira, no Batalhão da Guarda Municipal, na Avenida Pedro II 111, São Cristóvão. Água, colchonetes, cobertores, toalhas, produtos de higiene pessoal, fraldas descartáveis, alimentos não perecíveis (leite em pó), são os principais materiais que podem ser doados.

    PREFEITURAS:
    Teresópolis: Os donativos podem ser entregues no Ginásio Pedrão, na Rua Tenente Luiz Meirelles 211, Centro. Informações podem ser obtidas pelo 199 da Defesa Civil. Uma conta exclusiva para receber doações também foi aberta para receber doações. Com o nome de “SOS Teresópolis – donativos”, a conta está disponível na Agência 0741-2 do Banco do Brasil, com o número 110.000-9. O CNPJ é 29.138.369/0001-47. Há também a conta 2011-1, agência 4146, da Caixa Econômica Federal. Segundo a prefeitura, são aceitas ajudas de qualquer valor.

    Petrópolis: A prefeitura divulga a conta S.O.S Petrópolis, número 76.000-5, no Banco do Brasil, agência: 0080-9. A Prefeitura está concentrando as doações no Centro de Cidadania de Itaipava (Estrada União Indústria, 11.860) e na sede da Secretaria de Trabalho, Assistência Social e Cidadania, que fica na Rua Aureliano Coutinho, 81, Centro (Fundos do prédio da Ampla).

    No Centro de Cidadania de Itaipava foi a aberto um Posto de Desaparecidos, onde parentes das vítimas devem comunicar o desaparecimento para agilizar os trabalhos dos socorristas.

    Friburgo: A prefeitura divulga o SOS Nova Friburgo para doações no Banco do Brasil pela agência 03352 e conta corrente: 120000-3.

    Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Recursos Hídricos e Sustentabilidade de Niterói: Os donativos podem ser entregues das 9h às 17h, na Rua Almirante Teffé 632, sobreloja, Centro.

    Rio Bonito: A prefeitura está recolhendo donativos e recebendo doação de sangue para as vítimas. As doações podem ser feitas na Praça Fonseca Portela. O sangue pode ser doado no Hemonúcleo. O Hemonúcleo para a doação de sangue fica na Rua Martinho de Almeida, 222 – Mangueirinha – Rio Bonito – Anexo ao Ambulatório Manoel Loyola. Ele funciona de segunda a sexta-feira no período da manhã.

    Arraial do Cabo: A prefeitura montou postos de arrecadação na secretaria de Assistência Social, Avenida Luiz Corrêa s/nº, Praia dos Anjos; na Rua Oswaldo Cruz 66, Centro, na Avenida da Liberdade s/nº, ao lado da Prefeitura e na Praça Manoel Basílio, antigo cyber do bairro Canaã.

    No dia 19, a Superintendência da Juventude vai realizar a Campanha de Doação de Sangue. Um ônibus sairá da Praça da Independência (em frente ao Clube Guarany), no Centro da Cidade, a partir das 8h para levar os doadores ao Hemolagos, em Cabo Frio.

    Duque de Caxias: A prefeitura abriu 50 postos de arrecadação. Um deles fica na Praça do Pacificador e funcionará de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h, e sábado e domingo, das 9h às 13h. Haverá postos nos Centros de Referência da Assistência Social e em Praças Públicas.

    São João de Meriti: As doações podem ser entregues de segunda a sexta-feira, das 8h30m às 17h30m. Informações sobre os locais pelo telefone 2651-1049.

    SHOPPINGS:
    Aliansce: Os shoppings administrados pelo Grupo Aliansce – shoppings Leblon, Via Parque, Grande Rio, Caxias, Bangu, Carioca, Passeio e Santa Cruz – estão recebendo doações. A campanha pede agasalhos, colchonetes, alimentos não perecíveis, água mineral e material de higiene pessoal. ( Saiba os shoppings onde você pode doar )

    Ancar Ivanhoe: Seis shoppings administrados pela Ancar Ivanhoe – Botafogo Praia Shopping, Rio Design Barra, Rio Design Leblon, Shopping Nova América, São Gonçalo Shopping e Downtown – realizam a campanha “Fazendo a Diferença”. As doações poderão ser feitas no SAC/Espaço Cliente, das 10h às 22h, inclusive nos fins de semana (domingo, a partir das 13h).

    BarraShopping: Doações devem ser feitas no Conciérge do shopping, em frente à C&A do Nível Américas, na altura da entrada C, ou no Serviço de Atendimento ao Cliente (SAC), durante o horário de funcionamento do shopping.

    CasaShopping: O recolhimento será feito no SAC, de segunda a sábado, de 8 às 22h, e aos domingos e feriados de 15 às 21h. Alimentos não perecíveis, água mineral, colchonetes, produtos de higiene, fraldas descartáveis e cobertores são algumas das doações que podem ser deixadas lá.

    Shopping Plaza Macaé: O posto de recolhimento fica na praça de alimentação, no horário de funcionamento do shopping. Todo o material arrecadado será conduzido ao batalhão da Polícia Militar, que é o responsável pela seleção e distribuição dos itens no município.

    TopShopping: Fica na Avenida Governador Roberto Silveira 540, Centro de Nova Iguaçu. Outras informações: 2667-1787.

    OUTRAS INICIATIVAS:
    Casa da Matriz – As casas do Grupo Matriz que cobram ingressos (Teatro Odisséia, Casa da Matriz, Pista 3 e Casa de España) darão 20% de desconto na entrada cheia para quem doar um quilo de alimento não perecível para as vítimas da chuva. O material será encaminhado por meio do Viva Rio.

    Circo Voador:– A casa está recebendo donativos em sua sede, nos Arcos da Lapa.

    DJ Sany Pitbul: Quem for à festa Carioca Funk Clube, neste sábado, pode doar roupas, cobertores e agasalhos. A festa começará às 22h e acontecerá no Clube Internacional (entre o MAM e o Aeroporto Santos Dumont).

    Petkovic: O jogador abriu uma conta no Bradesco para arrecadar dinheiro para as vítimas da Região Serrana. Banco-Bradesco Ag. 213-5 C/p. 1008425-3.

    FONTE:  O  GLOBO ONLINE


     

     
    Deixe um comentário

    Publicado por em 18/01/2011 em Fé e Obras